13.4.08

essas são as mães do pátio,
mães de todos nós nesse pátio de cima onde se jogava à bola e às sete pedrinhas, atravessado de um lado ao outro em corridas desenfreadas.
essas são as mães com mãos-ramos-de-árvore e ritidoma áspero, meigas mãos a engomar as batas da escola e a cheirar a bolo.
mães desse pátio de abril onde aprendemos a liberdade.
tão fortes essas mães...e agora quase sem dar por isso cabem no nosso colo de meninos.